Os Filhos Verdes de Gaia

forest-931706_1280

Esquecemos-nos que fazemos parte de um Todo. Estamos integrados numa comunidade de consciência global que abarca muito mais que aquilo que é aparente aos nossos sentidos.
O Planeta Terra é um ser sentiente. Todos os seus filhos são seres que sentem e que estabelecem ligações emocionais com o que os rodeia. Vamos tendo consciência desse facto com os animais, devagar, devagarinho.

Agora, chamo a atenção à consciência das plantas.
Para os espíritos mais cartesianos que possam ler este texto, segue o link para conhecerem o senhor Cleve Backster que começou por estudar as reações das plantas e descobriu o que chamou “Sintonização natural entre todas as coisas vivas”. Estudou as reações das plantas, após haver descoberto, por acaso, a ligação existente entre plantas e e outros sujeitos.
(…) Em sujeitos humanos, um polígrafo mede três coisas: pulsação, respiração e resposta galvânica da pele, conhecida como transpiração. Se estás preocupado em seres apanhado numa mentira, os teus níveis irão subir ou descer. Backster quis induzir uma ansiedade similar na planta, então decidiu pegar fogo a uma das folhas. Antes de sequer conseguir chegar a um fósforo, o polígrafo registou uma reação intensa de parte da Dracaena. Para Backster, a implicação era indiscutível ao mesmo tempo que inacreditável. Não só tinha a planta demonstado medo – tinha também lido a sua mente.
Backster concluiu que as plantas possuem até agora inescoberto sentido (chamou-lhe “perceção primária”) que pode detetar e responder a todos os pensamentos e emoções humanas.

Fonte:
http://www.n9ytimes.com/news/the-lives-they-lived/2013/12/21/cleve-backster/

Portanto, se és daquelas pessoas que fala com as plantas lá de casa, ficas a saber que não és doid@, és antes intuitiv@ e abert@ à vida consciente que tudo permeia. Podes comunicar com elas e elas responderão à sua maneira. Os sentidos físicos podem não abarcar as respostas, mas o teu corpo espiritual e emocional vão receber e enviar essa comunicação.
A capacidade de comunicação das plantas é mais abrangente ainda. Foi descoberto que as plantas fazem maravilhosas músicas. Há concertos de plantas 🙂
Para entender-se o processo de como se capta a música realizada pelas plantas, segue o vídeo de um autor que trabalha nesta área específica:

Sendo que já existe concertos realizados pelas plantas – ao ar livre, assim como em locais fechados:

Notem como as plantas reagem ao toque dos vários indivíduos que as vão afagando. Vejam a emoção partilhada pelos espectadores com as plantas. É algo que me emociona muito, e que fico feliz ao partilhar… Talvez assim, deixemos de os ver como algo sem conexão direta e comecemos a entender como estamos de facto interligados com toda a vida, seja animal ou vegetal, e que esta responde à frequência de vibração que lhes enviamos ou apenas que estamos a sentir. As plantas sabem, sentem e respondem à sua maneira.

Deixo-vos aqui uma obra criada por um Antúrio, para ouvirem e conhecerem o trabalho de uma autora que se dedica a esta forma de arte musical em parceria com as plantas. Espero que apreciem tanto como eu… e as minhas amigas plantas cá em casa.

Grata, Diana A.

 

Neptuno-Saturno e a Água

turtle-54_1280

Neste momento, passamos ao nível global por um trânsito desafiante entre Neptuno e Saturno. Descodificando este jargão astrológico, passo a explicar as energias dos envolvidos:
Neptuno é o senhor das Águas, e simboliza a vida interior, o mundo dos sonhos, outros campos astrais, o cinema (a ilusão), a dissolução de limites pessoais. O deixar de ser Um para ser parte do Todo.
Saturno é o senhor das regras e do elemento Terra. Dos limites, do socialmente aceite. Simboliza as estruturas, a ordem, o rigor e a seriedade.
Quando estes dos senhores se encontram e medem forças de modo a encontrar um equilíbrio, somos todos obrigados a encontrar pontos de integração. Trata-se de um dilema global que cabe a cada um de nós trabalhar individualmente.
O aspeto formado entre entres dois é uma quadratura que promete tensões externas e internas. Sendo entre o signo de sagitário – fé, ideais mais altos, integração de culturas e espírito, e o signo de peixes – alma, dissolução do ego, emoção, sentimento, religião, vivência espiritual, tem-se uma ideia bem clara de qual a dimensão de vida que será colocada à prova.
Estas tensões vão verificar-se ao nível global, a humanidade a questionar a validade das religiões, o seu papel – integrativo ou desagregante, e podem esperar mudanças que nos afetarão como um Todo. As energias distorcidas que se agregam às várias religiões da Terra – dinheiro, energia sexual, poder, influência,…- serão colocadas a julgamento, baseadas em novas estruturas que se deseja criar. Plutão passando lentamente pelo signo de capricórnio ajuda à festa fazendo com que todas e cada estrutura corrompida caiam. Ao nível social e ao nível do indivíduo. Dependências, tachos, esquemas, toda a energia distorcida virá à tona. Plutão é um planeta de elíptica lenta e estará ainda uns anos a fazer o seu trabalho de limpeza. Dá tempo para habituar às mudanças e fazer nascer novas estruturas.
Ao nível individual, seremos obrigados a atentar se temos dado atenção à dimensão de vida do espírito . O campo das emoções e sentimentos tem sido bastante negligenciado nesta era cartesiana que agora termina. O campo do espírito, limitado a uma vivência religiosa que é parca na sua capacidade de elevação do ser. Queremos mais. E agora temos uma hipótese de conseguir. A religião deve ser a interna. A do encontro com a Divina Fonte que vive em nós e que temos a honra de manifestar na matéria. O poder do indivíduo acordado, e que conhece o seu poder. As estruturas, os valores a materializar, a verbalizar, devem ser os internos, a nossa visão mais elevada de nós mesmos, manifestada.

Dado que Neptuno é simbólico do elemento água e estamos a descobrir a sua ordem e estrutura, por imposição de Saturno, acrescento uma informação ligada a este elemento e os mais recentes estudos que nos mostram o seu poder, a extensão da sua capacidade e a ligação única que estabelece entre nós – como família humana, como família terrestre, global – e como nos liga. Ver Vídeo:


As conclusões a retirar são imediatas:
A água tem memória
A água é um gigantesco armazém de informação
A água guarda a marca da energia que se aproxima dela
A água reflete os padrões da energia que a rodeia, dos indivíduos naturais – flores, plantas, animais, humanos…
A água retém em si toda a informação por onde passa. E todos sabem que a água corre. Ela flui pelo globo terrestre, por dentro, por fora, em vários estados. Trata-se de uma rede de energia que nos rodeia, em forma de nuvens, mar, rios, em gelo ou fluindo. Passa pelos nossos corpos quando a bebemos, retemos parte e devolvemos ao todos as nossas próprias águas.
Agora questiono, que marca queres deixar neste manancial de informação global? Qual o teu padrão energético? O que partilhas com o todo?
Eu escolhi marcar toda a água que passa por mim com amor e luz, gratidão e restabelecimento de equilíbrio. Afinal, é essencial.
Acrescento ainda a informação, num vídeo muito resumido, (procurem Dr Marasu Emoto no YouTube para obterem mais informação) que sinto de suma importância no conhecimento da manifestação da água:


Consegue perceber-se a dimensão do poder de influência da mente e emoção humana na água. Consegue perceber-se o nosso próprio poder. Usem este novo conhecimento. Está disponível e neste período em que temos de lidar com o dilema Saturno-Neptuno, esta informação carrega consigo novas possibilidades, de novas atitudes, baseadas em respeito, em gratidão por esta malha amorosa que nos nutre, que nos sacia e mantém vivos. Os padrões divinos de ordem e beleza manifestam-se materialmente nas impressões deixadas na água, quando iluminadas pelas mais altas vibrações energéticas.
Atentem também a que, a energia emocional e mental com que se cercam por meio de pensamentos negativos e de julgamento deixa marca na água que está em nós contida. Vivemos nesta energia diariamente e em contínuo, a devolvemos à natureza. É primordial que se amem, que se aceitem e se acarinhem. A água de que são feitos vai refletir essa mudança de vibração individualmente (surtindo efeitos na saúde, no amor-próprio e atitude perante a vida) e no Todo também. Podemos emanar pensamentos de amor e luz e equilíbrio para a água, sempre antes de a bebermos, quando lavamos as mãos ou lavamos a louça, tomamos banho, ou passamos por um rio, riacho, mar.
Lembrem-se que a água retém a memória e leva essa determinada energia, fazendo-a circular pela Terra, abarcando toda a vida.
Gratidão, Diana A.

 

A Terra em Transformação

earth-moon-photo-lro

 

Quem anda atento, vê e sente mudança, e antevê direções. Estamos em plena mudança de paradigma em Gaia. E todos os seus habitantes estão englobados.
A Terra está em mudança e Ela espera que os seus filhos humanos acompanhem. Os planetas no céu e as suas implicações globais reafirmam esta tendência.
O que é solicitado ao indivíduo é apenas que viva a sua personalidade. A sua unicidade. Isto pressupõe andar atento ao que se passa no seu interior. É assim simples. Olha para ti. Sê uma presença observadora de ti. Observa os teus sentimentos. Observa as palavras e ações. Tão simples e tão difícil. Vejam bem, é tão mais fácil agir de acordo com o que outros esperam de nós. Manter o status-quo, não fazer ondas. Mas esse é o comportamento da velha Terra. E Ela decidiu elevar-se. Vais acompanhar?
A claridade interior é uma exigência. Pensar globalmente, como uma única célula humana, baseada em novos valores. Valores que depende de nós estabelecer. Aí, sim, espera-se que esses valores nasçam do indivíduo, e se espalhem para o todo.
A física quântica comprova que fazemos parte do mesmo insconsciente coletivo. Chamado o “Campo Unificado de Consciência”. Um campo inteligente de energia, mutável, que abarca todos nós.
As repercursões deste conhecimento são imensas, se nos concentrarmos sobre as implicações. Ocorre-me atentar ao facto que, de cada vez que um de nós se decide a ser e a viver de forma consciente, conseguindo integrar dilemas que pertencem ao todo, e assim descobrindo novas soluções, partilha-as com o Todo através do campo unificado. A partir daquele momento, aquele conhecimento, aquela específica integração fica disponível: qualquer ser humano que se encontre naquela energia em particular conseguirá receber e alcançar a energia da vivência do outro ser humano que originalmente a transcendeu.
Se trabalhares interiormente, estás a trabalhar globalmente.

Tem sido assustador. Viver em Gaia, no meio de tanto caos. Quem vê e olha a realidade, sabe. Todos nós sabemos. Agora se impõe: como vives dentro de ti? O mesmo caos? Porque a realidade é uma manifestação do campo que todos nós criamos, em conjunto. O que queres diferente? Trabalha em ti essa mudança. Se trabalhares em ti, afetas o todo. Não precisas de pegar na espada do herói e ir proferir queixas para o facebook. Colocares a cor da bandeira deste país, ou manifestar pesar ou indignação. Olha para ti. Limpa em ti. Integra o caos. Aceita. Assim, ajudas o todo.

Façamos isto. Sem ceder á tentação do auto-julgamento, vamos apenas Ser. Olhar de frente para o caleidoscópio de energia que somos. Todas as nossas facetas são. Elas são, mesmo que não queiramos olhar. A promessa é que olhando, elas perdem o seu poder. Os nossos lados sombra são assustadores e um reflexo perfeito do caos da realidade…

Prometo, se olhares, vai deixar de assustar. Se aceitares, a luz do conhecimento vai libertar-te. É um processo duro. Mas o único, de agora em diante.
Vais acompanhar? A mutação da espécie anda aí…